segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Advogados de São Paulo decepcionantes

        Sou um cidadão que tenta viver corretamente e quando me encontro em uma peleja, busco os meus direitos.
Acabei indo hoje a três escritórios advocatícios que ficam a menos de 700m de onde moro, ficando surpreso ao ver o quanto os advogados de São Paulo-SP e seus secretários, aspirantes a advogados, são mal educados, medrosos e traumatizados (refiro-me aos escritórios que estive); todos os advogados e os secretários aspirantes vivem enclausurados em seus escritórios com grades nas entradas principais,  cadeados e câmeras; sendo que nos identificamos no térreo dos prédios e tiramos fotos, mas mesmo assim tive que responder a perguntas em pé, em frente às portas dos escritórios, perguntas de como consegui o endereço, pois não tinham site e não deveriam aparecer no Google, já que eles não pagam para aparecer em sites etc (por dentro eu ri, pois já precisei de advogados em 3 outros Estados do Brasil e não imaginava que os advogados daqui sequer fossem educados, mas superei a primeira má impressão, pois nunca vi os paulistanos como sinônimos de pessoas corajosas, sabem ser um povo assustado). Fora as perguntas de que eu deveria ligar para agendar o atendimento com os Divinos inacessíveis advogados (pensei que deveria ser para eles se sentirem mais importante, reuniões agendadas são mais chiques! Contudo, e se o meu caso fosse de alguém que estivesse passando na porta e visse a placa de advocacia e entrasse ou tentasse, pois os escritórios eram mais seguros que presídios?! Eu deveria ter ligado do lado de fora e ter agendado para o próximo minuto! Faço isso da próxima vez).
Entrando nos escritórios aconchegantes e luxuosos (nota 10 ao conforto, cores, mobília e bom gosto), entretanto, sentindo falta do detector de metais, pois faltou isso na entrada; mas quando eu tiver a oportunidade de visitá-los novamente, darei a dica e eles vão instalar com toda certeza.
Eu estava lá naquele mundinho, totalmente seguro do mundo de crimes do lado de fora; mas, me decepcionando de novo com as pessoas alfabetizadas, diplomadas, porém, mais ignorantes, debiloides até, que muitos matutos que já conheci entre vilarejos e fazendas residentes pelo Centro Oeste, Norte e Nordeste (infelizmente não conheci por onde andei os matutos do Sul e Sudeste)! Não me decepcionei por falta de oferecerem o chá, café ou água, que iria negar educadamente, vai que me dopavam e fariam eu responder perguntas, um soro da verdade, só para se certificarem que eu não era algum tipo de criminoso ou ei lá do que mais eles têm medo. Todavia, me decepcionei por me sentir em uma entrevista de emprego os babacas advogados queriam me atender apenas por indicação (pensei, e se a pessoa for de outro Estado? E se a pessoa nunca precisou de advogados ou tem intimidade com quem conhece? Quem não deve, não teme! Não sabia mais de nada por um instante. Minha mente fértil de escritor pensou em ameaças de morte, advogados que combatem o crime organizado e mil outras coisas em poucos segundos. Diverti-me com certos pensamentos! A realidade é que eles eram só uns “ternucos” que se achavam)!
 Entrevistaram-me, pareciam fiscais da Receita Federal; cometendo o erro de demonstrarem mais interesse por atenderem empresas, devido a uma possível lucratividade maior que as ações de pessoas físicas (foi o que as perguntas me levaram a concluir, mas pensei também que há causas de empresas por uma conta de telefone de R$ 10,00 e causas de pessoas físicas por centenas de milhões). Os babacões, transmutados a mim como urubus do dinheiro, em vez das típicas aves de carniças advogados apenas caíram ainda mais no meu descrédito (sendo que eu estava lá por uma causa de pessoa física, mas isso nada quer dizer que a pessoa física, ali presente, não tenha empresas e caso eu gostasse do serviço, poderia dar outros serviços a eles depois, até ações que envolvam as empresas! Onde a ignorância reina...).  Após eu já estar frustrado e os babacas advogados a mercê de me dispensarem por pensarem que seria uma causa de valor simbólico (pois nem fiz questão de abrir a pasta com documentos que carregava ou explicar detalhadamente a razão de eu estar lá, pois, estava frustrado, respondendo aos questionários de perguntas, me sentindo até um Serial Killer condenado), porém os carniceiros advogados mudaram completamente a maneira de se comportarem ao saberem que eu tinha ações de 6 dígitos e a causa que ia dá de mão beijada ao escritório, além de ser uma causa fácil, era rápida, tinha todas as notas, laudos, testemunhas e a lei era favorável a mim.
Chega de decepção? Claro que não! A decepção não parou por aí; tive mais uma surpresa, pois, dei adeus aos outros escritórios; mas, em um deles, cruzei meu caminho com uma interesseira advogada de lentes azuis, que nem piscaram depois de perceber que poderia ganhar um dinheiro maior do que havia imaginado ao me receber, sendo que fui entrevistado do mesmo jeito. A espertalhona advogada quis me enrolar, querendo entrar no processo pelo meio mais longo e caro: visando apenas grana e não resolver o problema do cliente com eficiência, rapidez e transparência!
Ainda não chequei a meia idade e há quem diga que estou na mocidade, até por causa da aparência, contudo, acabei adquirindo experiências jurídicas, devido a ser parte em causas que advogados após meses e meses, nada resolveram; sendo que eu mesmo, para encerrar a ação e o Juiz despachar, tive que levantar tudo o que precisava com o Auditor do Estado, Delegados especialistas, outros órgãos do Governo e Privado, resolvendo com o Ministério Público, Tribunal de Justiça, Juízes Corregedores e o Desembargador do Agravo de Instrumento (todos em separados e em seus gabinetes e salas, como também, todos eram desconhecidos), sendo que também fui em 2 emissoras de TV e uma se esquivou de gravar por não quererem denunciar um Juiz por corrupção; e antes de ir ao ar a matéria, mas já tendo tomadas todas as providências legais e cabíveis, sentei com o Juiz corrupto e mostrei a ele cópias de todas as provas e tudo o que tinha feito e com quem tinha conversado, sendo que a policia legislativa estava na sala para me prender, esperando apenas a determinação do Juiz, pois ele havia marcado comigo a hora de me receber e queria me dar um flagrante, mas mesmo assim fui sozinho (o matei na unha, como falam no Nordeste),  e após conversarmos, o corrupto Juiz de Direito simplesmente abaixou a cabeça e seus policiais legislativos ficaram desconcertados, conhecendo os reais fatos, sendo que lembrei ao Juiz que contra fatos e provas não havia argumentos para o ato corrupto dele, e o próprio Desembargador havia ordenado ao Juiz voltar a antiga decisão e mesmo eu não tendo a prova do dinheiro recebido pelo Juiz, mas tinha tantas outras coisas que levaram ele a ser conivente com tantos crimes, sendo que o Juiz corrupto não teve como não dar o veredito ao meu favor e isso não tinha acontecido, então tive que lembra-lo que eu não estava lá pedindo  favorecimento pessoal, mas tinha noções de direito e sabia exigir quando cansado da morosidade e ineficiência do Estado, como da corrupção do Legislativo, no caso, ele! Aquele corrupto Juiz até hoje come na minha mão e tem medo de mim porque não tem a má índole de mandar me matar e ficou falando que escrevia poesias, tentando me enrolar para responder à minha pergunta e dá o Despacho; fui incisivo e ele deu o Despacho, como também, foi encaminhado imediatamente ao cartório, ao qual conversei também com o Juiz de lá para ser cumprido no ato e um processo de meses de enrolação, que se transformariam em anos, pois era essa a intenção, 20 anos, foi resolvido em poucas horas, devido a eu conhecer leis, ter me expressado, pressionado, dito a real e fazer o trabalho do meu advogado bundão, que era Procurador, e então compreendi que ele era procurador e deveria continuar sendo porque era fraco demais para advogar, ao menos para mim não serve e nunca mais lhe dou uma causa. Mas tenho outras experiências envolvendo poderosos corruptos e tive um problema que o Chefe do Estado Maior da PM se intrometeu (é o segundo homem de mais poder na PM, atrás apenas do CMT Geral), como também um Cel, CMT de um importante batalhão da PM e outros poderosos influentes, fora um milionário almofadinha que fazia parte da causa, e no fim de tudo, fui até sem advogado, mas um advogado já tinha redigido tudo o que eu tinha de provas e argumentos no papel e eles tiveram que colocar o "rabo" entre as pernas e nada legalmente puderam fazer contra mim, achando que por serem quem eram, eu não os enfrentaria; mas eu estava dentro dos meus direitos e não sou o tipo que é intimidado pelo status.
Expliquei isso porque não sou o mais leigo do mundo jurídico e a advogada de lentes azuis que conheci hoje queria ir por outro caminho entre as finitas possibilidades e brechas do Direito, pensando que por eu estar num escritório de advocacia, não soubesse nada de Direito (claro que não expliquei a nenhum deles minhas experiências e histórias jurídicas, ou que já finalizei mais de 20 disciplinas dessa área.
Resumindo, saí de todos os escritórios altamente decepcionado, e tenho contatos que são amigos de advogados influentes até no Senado, mas a causa que fui dá entrada é simples e o valor não é tão alto para eu recorrer a um advogado de nome, pois cada cartucho tem um valor e sua hora de ser queimado. Enfim, decepcionado com os advogados ignorantes e interesseiros que conheci hoje em São Paulo. A minha impressão com os advogados de São Paulo foram as piores possíveis entre todos os escritórios advocatícios que já conheci no Brasil, me restando a certeza que se eu fosse uma pessoa um pouco mais leiga, eles teriam comido o meu fígado, sendo um caso para os Winchesters. Esqueci se há alguma criatura sobrenatural que ame fígado e não quero olhar no Google.
Hoje, após essa decepção com os advogados que conheci, restou a mim ignorar todos eles, não fechando com nenhum! Amanhã vou a outros escritórios e tendo a mesma recepção, vou dar a minha ação para os advogados que não queria usar agora. 
Espero que todos os advogados que estão lendo isso tenham aprendido uma lição e a todos que são injustiçados no Legislativo, não tenham medo de buscarem seus direitos ou de denunciarem Juiz de Direito ou outros poderosos, sejam quem forem! O Brasil tá a merda que tá porque os maiores bandidos, as quadrilhas mais estruturadas, são representantes do povo, Ministros, doutores, influentes, empresários bilionários almofadinhas, que não batem carteira, mas matam mais várias guerras pelo mundo. Aqui o povo sofre e se vende por esmolas. Os políticos brasileiros perceberam isso e a destreza foi tanta, que inventaram tudo que é tipo de Bolsa, só não fazem a Bolsa burrice, pois o povão não compreenderia o porquê que o Governo pagaria uma Bolsa a brasileiro, já que somos sinônimos de uma nação de otários e tratados assim pelo Legislativo, Judiciário, Executivo, Ministério Público, OAB, imprensa e magnatas.
Advogados espertalhões não faltou hoje em meu caminho, todos bem acostumados à velha malandragem, tipicamente brasileira e pelo visto, nunca deixará de ser modismo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário